quinta-feira, 7 de março de 2013

Prémio de Jornalismo - Os Direitos da Criança em Notícia



O Prémio Os Direitos da Criança em Notícia foi criado no âmbito do Fórum sobre os
Direitos das Crianças e dos Jovens, com o apoio do Montepio, e tem como objetivo
estimular abordagens jornalísticas que divulguem a situação da infância, bem como a forma como os direitos são, ou não, garantidos (proteção, provisão e participação), e que promovam a sensibilização junto da opinião pública para a ideia da criança como sujeito de direitos.

O Prémio Os Direitos da Criança em Notícia destina-se a distinguir trabalhos originais
nas categorias de Imprensa, Rádio e Televisão e tem periodicidade anual.

A este prémio podem concorrer os profissionais de órgãos de Comunicação Social
portugueses com trabalhos nas áreas de Imprensa, Rádio e Televisão que se tenham
distinguido na promoção e Proteção dos direitos das crianças e dos jovens. Cada profissional pode concorrer até 31 de Março de 2013 com um trabalho que tenha sido publicado, em Portugal, no período compreendido entre 1 de Junho de 2012 e 31 de Março de 2013.

Aos autores dos trabalhos premiados é atribuído um prémio pecuniário, patrocinado pelo Montepio, de 6.000 euros, repartido equitativamente pelas três categorias.

Este ano, o Fórum aposta também na atribuição de uma Menção Honrosa a um(a) aluno(a) finalistas da área de Comunicação Social no âmbito de um projecto-piloto desenvolvido com a Escola Superior de Comunicação Social do Intituto Politécnico de Lisboa. Os alunos do último ano da licenciatura podem concorrer, até 31 de Março de 2013, com um trabalho realizado no ano letivo 2012/2013 na área da Imprensa ou Televisão e que vise a promoção e proteção dos Direitos das Crianças e dos Jovens.

O trabalho do(a) aluno(a) distinguido com a Menção Honrosa será publicado on-line no
Jornal Expresso.

Os trabalhos concorrentes ao Prémio pecuniário e à Menção Honrosa, serão selecionados por um Júri independente constituído para esse efeito e composto por cinco membros, incluindo profissionais da área da Comunicação Social, dos Direitos Humanos e um representante do Montepio.

As decisões do Júri serão tomadas por maioria simples e não serão passíveis de recurso.

O Júri reserva-se o direito de não selecionar trabalhos em uma ou mais categorias, caso os mesmos não revelem qualidade em função dos objectivos estabelecidos. Assim, o Prémio não ser atribuído, aplicando-se o mesmo princípio aos trabalhos candidatos à Menção Honrosa.


Contextualização

2ª Edição do Prémio Os Direitos da Criança em Notícia, a atribuir pelo Fórum
sobre os Direitos das Crianças e dos Jovens com o Montepio (2013):

“O trabalho de investigação e sensibilização social dos comunicadores é crucial para
dar a conhecer a situação das crianças e o nível de respeito pelos seus direitos,
bem como para exigir soluções para os problemas e promover e obter o
compromisso de outros sectores da sociedade nesse empenho.”
(in Convocatória para os Prémios Ibero-americanos de Comunicação pelos Direitos
da Infância e Adolescência – UNICEF-EFE 2002/3)

O modo como os Media representam, ou porventura ignoram, as crianças
pode influenciar as decisões tomadas em seu nome, e a maneira como o
resto da sociedade os encara. Os Media muitas vezes retratam as crianças
meramente como ‘vítimas’ ou encantadores ‘inocentes’. Ao
proporcionarem às crianças e aos jovens oportunidades de falarem na
primeira pessoa – acerca das suas esperanças e receios, das suas
realizações, e do impacte do comportamento dos adultos nas suas vidas –
os profissionais dos Media podem lembrar à opinião pública que as
crianças merecem ser respeitadas como seres humanos individuais.”
(in The Media and children’s rights – a resource for journalists by journalists,
UNICEF 2010)

Critérios de avaliação sugeridos:
- Cumprir os princípios éticos e deontológicos do jornalista, prestando atenção à
defesa e promoção dos direitos e interesses das crianças e dos jovens;
- Contextualização da informação e visão integral da realidade das crianças e dos
jovens;
- Recurso a diversidade de fontes e versões, a fim de assegurar a expressão da
comunidade, incluindo a voz das crianças e dos jovens;
- Utilização cuidadosa de imagens, vozes e conteúdos em geral, para não afectar a
integridade, identidade e privacidade das crianças e jovens;
- Apelo à mobilização da sociedade para os problemas que afectam as crianças e os
jovens;
- Adopção de uma abordagem assertiva, que valorize os aspectos positivos, mesmo
face a uma acção negativa;
- Originalidade de estilo ou enfoque pessoal.



Mais informações através do e-mail forumdireitoscriancas@gmail.com

Sem comentários:

Publicar um comentário