quarta-feira, 3 de junho de 2015

Afogamentos

No último fim de semana, duas crianças de 3 anos morreram afogadas em piscinas. Uma em Óbidos, outra em Lagos. Aparentemente foram as primeiras mortes por afogamento este ano mas o Verão ainda nem começou.

O que mais incomoda é que estes afogamentos aconteceram como tantos outros e podiam ter sido evitados.


Se tem piscina em casa, no local onde vai passar férias ou nas redondezas garanta que está devidamente protegida com uma vedação. A medida mais eficaz na redução dos afogamentos com crianças pequenas é a existência de barreiras físicas que dificultem o acesso da criança e retardem o seu contacto com a água, dando mais tempo ao adulto para colmatar uma falha de vigilância.


A vedação não pode permitir a passagem de uma criança por cima, por baixo ou através dela, nem ser escalável. Ou seja, uma vedação eficaz tem que ter as seguintes características:
  • No mínimo, 110 cm de altura, sem elementos que possam servir de apoio para trepar (elementos onde a criança possa por os pés ou as mãos);
  • No máximo, 9 cm de distância entre elementos verticais;
  • Um portão com abertura para o exterior (do recinto da piscina), com um sistema de fecho automático;
  • Ter o fecho do portão fora do alcance das crianças, ou um mecanismo de fecho só possível de abrir através de duas ações distintas e coordenadas;
  • Alguma transparência, de forma a que o recinto da piscina seja visível do exterior.
Para mais informações sobre a segurança na água veja o filme da APSI “Um segundo pode durar para sempre: prevenção dos afogamentos” e consulte o nosso folheto sobre prevenção de afogamentos.


Sem comentários:

Publicar um comentário